Temas de IML: Dissecções academicas

O conhecimento anatômico do corpo humano data de quinhentos anos antes de Cristo no sul da Itália com Alcméon de Crotona, que realizou dissecações em animais. Pouco tempo depois, um texto clínico da escola hipocrática descobriu a anatomia do ombro conforme havia sido estudada com a dissecação. Aristóteles mencionou as ilustrações anatômicas quando se referiu aos paradigmata, que provavelmente eram figuras baseadas na dissecação animal. No século III A.C., o estudo da anatomia avançou consideravelmente na Alexandria. Muitas descobertas lá realizadas podem ser atribuídas a Herófilo e Erasístrato, os primeiros que realizaram dissecações humanas de modo sistemático.

A utilização do cadáver é uma tríplice lição educativa: a.intrutiva ou informativa, como meio de conhecimento da organização do corpo humano, precedendo ao estudo no vivo; b.normativa, disciplinadora do estudo, pelo seu caráter metodológico e de precisão de linguagem; c.estético – moral, pela natureza do material de estudo, o cadáver, e pelo método primeiro de aprendizado, a dissecação, que é experiência e fuga repousante na contemplação da beleza de harmonia de construção do organismo humano.

. A dissecção em SVO e IML é padronizada e a necessidade de agilidade faz com que o conhecimento supere uma tecnica mais apurada. Mas sempre é necessaria uma intervenção mais tecnica e detalhada. Nesses casos é necessário que o auxiliar/tecnico tenha um bom preparo para prestar ao medico o melhor apoio. Das dissecções comuns mais detalhadas, a dissecção do pescoço é a mais trabalhosa.
O objetivo deste artigo é comentar a tecnica de dissecção de pescoço.
Retirada da lingua e laringe, podendo conter o cardiorespiratorio completo ou não. A dissecção é dificil e trabalhosa. O objetivo é retirar lingua e laringe sem cortar a pele do pescoço na região do mento. O ideal é fazer o Y para evitar o corte reto ao mento. Com o Y tem a preservaçao da imagem do cadaver. A dissecção é feita por baixo da pele do pescoço.


A tecnica pode variar para poupar a visão da familia no caso de jovem
Esta tecnica é guase cirurgica, mas IML e SVO é praxi para fazer em rotina para preservar a imagem co cadáver. Em alguns casos no IML, como dos enforcados ela não é aplicada, sendo feito o corte ao mento.
Fazendo o colarinho do Y, é só dissecar por baixo da pele. Após toda pele solta, corta-se a musculatura de apoio da língua, artérias e veias do pescoço em suas bases, e em seguida disseca-se por baixo das estruturas da laringe e esôfago liberando o bloco.

As quatro tecnicas são usadas de forma variada

Existem as tecnicas de dissecção acadêmica, que visa expor musculos e orgãos de forma tecnica para faculdades. Isto exige conhecimento de anatomia precisa de um bom necropsista



Comentários

  1. Nossa só posso dizer que é um trabalho muito show, quero fazer isso, porque eu gosto da área.

    ResponderExcluir
  2. Boa noite.

    Você poderia me ajudar?

    Estudo há algum tempo para concursos públicos, especificamente para o cargo de papiloscopista, porém nesse ano abrirá um novo concurso para perito criminal. Fiquei bastante interessada e pretendo prestar esse concurso também.

    Uma das disciplinas exigidas é medicina legal. Já pesquisei na internet, mas achei poucas bibliografias indicadas. Também já visitei diversas livrarias tentando encontrar o melhor material. Comprei o "Manual de Medicina Legal" do Delton Croce. Estou gostando do livro, mas sinto que não é suficiente.

    Você conhece algum livro/apostila interessante para me indicar?

    Obrigada! E parabéns pelo site!

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pelo seu trabalho, e o trabalho de postar essas informações aqui, eu me beneficio bastante com seus textos. Continue postando sempre :)
    Abraços
    Luciana

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Escolhe um trabalho de que gostes, e não terás que trabalhar nem um dia na tua vida.
-Confúcio

Postagens mais visitadas deste blog

Dicas para entrar na área de necropsia

Tutorial: noções tecnicas de necropsia

Necropsia: IML e SVO