Quem sou eu

Minha foto
Sergio Honorio -Tecnico de necropsia -Professor de necropsia da escola WT COORDENADOR do curso de tanatopraxia do CENTRO DE TREINAMENTO TAMAVEL

sexta-feira, 9 de setembro de 2016

Tecnico de necropsia revela os bastidores da profissão


Sergio Honorio
45 anos
22 de necropsista



A função de um técnico em necropsia é de abrir um cadáver, mexer em todos os órgãos, retirá-los caso seja necessário e fechar o corpo. Enquanto isso, o médico legista ou patologista faz as análises para concluir o laudo e as causas da morte.

Inicie trabalhando como auxiliar de enfermagem aos 18anos, na área de saúde.


Depois fiz o tecnico de enfermagem e durante o curso conheci a área de necropsia, onde consegui fazer estagio no SVOC da FMUSP em 1992.


Em 1994 prestei concurso e fui trabalhar na anatomia patologica do hospital JUQUERI. Nesta época conheci muito da historia dos antigos necropsistas.


Em 1996 fui convidado para trabalhar como tecnico de necropsia no hospital Tatuapé pelo PAS.


Em 2000 acabou o PAS e fomos todos detidos, foi ai que descobri que não somos regulamentados e nem a justiça do trabalho conhece bem nossa função, pois perdi o processo trabalhista. Não consegui ganho de insalubridade e horas extras. Assim que percebi que nossa profissão não é reconhecida pelas pessoas ou autoridades como muitos juízes trabalhistas. A justiça não viu o risco e a insalubridade que temos na nossa área. Dai em diante não acreditei mais na justiça trabalhista em pró da área de necropsia e com amigos começamos a divulgar, ensinar e romper os preconceitos.

*Até hoje buscamos apoio politico para levar um projeto de lei que reconheça e regulamente nosso trabalho.


Em 2005 fui trabalhar no SVO de Guarulhos. Conheci grandes profissionais da área e houve interesse geral para dar apoio aos políticos que apoiassem nossa causa. Como em todos os locais onde o necropsista trabalha, tivemos dificuldades e defasagem de salario, mas com persistência, conseguimos melhorar um pouco em relação ao que era ate alguns anos atrás.



Anos lidando com a morte
Como necropsista ja vi muito nestes 22anos.
As historias são variadas, as vezes engraçadas como quando o braço do cadáver escorrega e bate na bunda de alguma enfermeira desprevenida...o susto é muito divertido. Mas também ha casos muito tristes como colegas que chegam no trabalho do IML e encontra a própria filha na maca para necropsia. Ja vi colegas que perderam parentes e amigos ou de colegas que fizeram necropsia em vizinhos e amigos. No momento da atuação como necropsista da pra separar as coisas, mas a ficha sempre cai quando o corpo esta no velório. Lidar com a morte não nos faz imunes a sentimentos de perda e as vezes as perdas são mais doloridas para que já trabalha com a morte. Mas é mais rápido de se adaptar, mesmo nesse processo de adaptação conseguimos separar a nossa perda da nossa atuação profissional. Enfim, realmente precisa ter um bom psicologico. Eu ja me deparei com inicio de uma cena de necrofilia no necroterio por um funcionário de outra área, mas ao me ver, ele parou e saiu do necroterio antes que eu pudesse expulsa-lo. Esse tipo de mentalidade doentio não é comum entre os necropsistas, mas muito mais comum em áreas da saúde ou outras que lidam com o corpo em locais privativos e sem câmeras...Hoje em dia as câmeras de vigilância são mais comuns e inibem esses impulsos monstruosos nos necroterios. Os necropsistas antigos eram pessoas humildes e sem preparo, que tinham desvio de função. Atualmente é preciso ser concursado e ter curso. Eu atuo tambem como instrutor ou professor de necropsia.



Hoje tambem atuo como necropsista e coordenador do curso de tanatopraxia do CENTRO DE TREINAMENTO TAMAVEL.


A tanatopraxia é uma das atribuições do necropsistas em algumas instituições. O campo de trabalho de um necropsista bem preparado pode envolver desde a necropsia em IML ou SVO...até ser tecnico de anatomia em faculdades, clinicas de tanatoconservação, tanatorios, necroterios e banco de olhos para captação de cornea. Neste caso é preciso de um curso de especialização, mas o fato de ser necropsista abre essas portas com mais facilidade.

O salario esta em torno de 1.500,00 a 5.000,00 reais. Depende do campo que o necropsista atua - Em IML depende do estado e do numero de abitantes. Em torno de 3.500,00 a 4.500,00 reais -Em SVO pode chegar a 5.000,00 se for um SVO de universidade