Temas de IML: Luva cadavérica

técnica da Luva cadavérica


Tecnica de POZZO Conhecida como "luva cadaverica" Para os corpos em decomposição é necessária a retirada da luva cadavérica, ou seja, a pele que recobre os dedos da mão do cadáver. O desenho explica como é a retirada dessa luva cadavérica. Corta-se transversalmente a pele do dedo alcançando com o corte a área de um anel. Depois, a pele do dedo é deslocada e retirads. Após isso, o tecnico veste a pele do cadáver sobre sua própria mão, previamente protegida por uma luva de borracha. Enfim, pode-se tranqüilamente fazer a tomada das impressões digitais :
Outro dia no IML, tive uma experiência nova. Com um caso de um cadáver em estado putrefeito, não podíamos colher digitais nos meios normais, diante disso o legista pediu pra mim e meu colega para fazermos a “luva cadavérica”. Eu nunca tinha feito, mas meu colega sabia e me ensinou. Pra começar devo explicar que com 6 dias de óbito em casa, a temperatura ambiente, o cadáver solta a própria pele.




A pele se solta com os gases e desprende-se dos musculos e pode ser puxada.


Assim toda pele da mão se soltou e retiramos toda a pele como uma luva e colocamos pra secar. Depois de algum tempo retiramos e vestimos a pele da mão do cadáver por sobre nossas luvas. Assim vestimos nas mãos por um momento a identidade de uma pessoa. Em seguida passamos a tinta papiloscopica e colhemos as digitais no ficha. Toda a papiloscopia das duas mãos foram feitas sobre nossas mãos. Após a colheita de digitais retiramos a pele e descartamos ao lado do corpo. Agora é interessante que vocês entendam um pouco sobre papiloscopia. Vamos conhecer com esse pequeno tutorial.

A identificação por impressão digital é mais rápida, barata, segura e mais fácil que outros métodos utilizados. Com a identificação evitamos a troca de corpos, sepultamento do corpo como indigente e o principal, com o confronto da digital devolvemos à cidadania a vítima, que pode ser enterrada pela família.



. Em casos avançados de putrefação, a equipe utiliza a técnica da “luva cadavérica” em que é retirada a derme da mão da vítima formando uma luva, que é colocada na mão do próprio papiloscopista para coletar as impressões digitais.
Existem várias formas para realização do exame de necropapiloscopia. Em casos de corpos carbonizados é possível fazer a identificação da vítima pela impressão digital.
“O exame varia de caso a caso. Em alguns deles, os papiloscopistas podem utilizar uma ou mais de uma técnica para obter o resultado esperado e necessário para o levantamento das informações.
A técnica:
Corta-se transversalmente a pele do dedo alcançando com o corte a área de um anel (1).
Depois, a pele do dedo é arrancada como um preservativo (2).


Após isso, o pesquisador veste a pele do cadáver sobre sua própria mão, previamente protegida por uma luva de borracha (3).

É a hora de ver se a capinha de dedo do morto serve no seu dedo.
Enfim, pode-se tranqüilamente fazer a tomada das impressões digitais (4 e 5).



Comentários

  1. Boa tarde!!gostei de aprender um pouco mais sobre identificação de corpos,muito dez esta técnica.
    Particularmente eu nunca tinha ouvido sobre ela,mas gostei;parece ser muito eficaz.
    Que DEUS continue lhe abençoando cada dia mais em seu trabalho em nome de JESUS.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Escolhe um trabalho de que gostes, e não terás que trabalhar nem um dia na tua vida.
-Confúcio

Postagens mais visitadas deste blog

Dicas para entrar na área de necropsia

Tutorial: noções tecnicas de necropsia

Necropsia: IML e SVO