sexta-feira, 23 de julho de 2010

Comentando as tecnicas de necropsia

Comentado por: Sergio Ricardo Honorio
Professor de teoria da necropsia
Curso de necropsia
Escola Coração de Jesus/Penha-SP








Para quem gosta e se interessa pela area de necropsia, é interessante conhecer as tecnicas basicas usadas. As pessoas em geral devem saber, que uma necropsia não é desmontar um cadaver como se fosse um açougue. Existem tecnicas e podem ser comparados a procedimentos cirurgicos. Cada tecnica tem sua finalidade e logica. Tambem pode-se adaptar uma mescla destas tecnicas dependendo do caso.




Nos IMLs as tecnicas mais usadas são as de Virchow e Letulle. Estas tecnicas foram desenvolvidas por medicos brilhantes.
A tecnica de Rokitansky é muito pratica em exames no IML e SVO, devido sua praticidade. Quando em morte natural, o medico vai examinar a fundo o ponto de obito ou seja; vai direto na causa da morte.
Na tecnica de Letulle. A retirada completa serve para exames detalhados de visceras e muito util tambem em SVO.
A tecnica de Virchow é mais usada em IML para casos de morte natural, onde se examina por dentro, mas pra retirar vai direto na causa da morte.
A tecnica de Ghon é mais usada em SVO, principalmente nos Hospitais escola.

Técnicas
Cada serviço de Patologia tem sua própria técnica de necropsia, que na verdade é variante de uma das quatro técnicas básicas - de Virchow, Ghon, M. Letulle e de Rokitansky.
• Virchow os órgãos são retirados um a um e examinados posteriormente.
• Ghon, , a evisceração se dá através de monoblocos de órgãos anatômicamente/ou funcionalmente relacionados.
• M. Letulle o conteúdo das cavidades torácica e abdominal é retirado em um só monobloco.
• Rokitansky os órgãos são retirados isoladamente após terem sido abertos e examinados "in situ".

Técnica de Virchow
Em 1874, o Dr Rudolf Virchow, médico polonês, padronizou a técnica de necrópsia, cuja base é utilizada até os dias atuais. Ele fundou as disciplinas de patologia celular e patogia. Na técnica de Virchow os órgãos são retirados um a um, são pesados e examinados separadamente. A abertura do tórax e abdome é a padrão (biacrômio esterno pubiana) e a do crânio, também (bimastóidea vertical). Após o exame dos órgãos, eles são colocados novamente dentro do cadáver.
Historioco:Rudolf Ludwig Karl Virchow (Świdwin, 13 de outubro de 1821 — Berlim, 5 de setembro de 1902) foi um médico e político alemão.
É considerado o pai da patologia moderna e da medicina social, além de antropólogo e político liberal (Partido Progressista Alemão e Partido Livre-Pensador Alemão).
Filho do açougueiro Carl Virchow e de Johanna Hesse Virchow, graduou-se em 1843 em medicina em Berlim, pela Academia Militar da Prússia. Tornou-se professor em 1847. Por participação ativa na Revolução de Março (1848-1849), mudou-se para Würzburg, onde trabalhou como anatomista. Casou em 1850 com Rose Mayer, com quem teve 3 filhos e 3 filhas. Em 1856 retornou a Berlim, para assumir a cátedra de anatomia patológica da Universidade de Berlim.
Durante a Guerra Franco-Prussiana, liderou pessoalmente o primeiro hospital móvel para atender os soldados no front. Também envolveu-se em atividades sociais, como saneamento básico, arquitetura de construção hospitalar, melhoramento de técnicas de inspeção de carne e higiene escolar.
A ele são creditadas várias descobertas significativas. Foi ele quem elucidou o mecanismo do tromboembolismo, cujos fatores são conhecidos até hoje como tríade de Virchow. Foi o primeiro a publicar um trabalho científico sobre leucemia, pelo qual todas as formas de lesão orgânica começam com alterações moleculares ou estruturais das células.
Foi membro ativo na vida política do II Reich alemão, como ferrenho opositor ao Chanceler Otto von Bismarck.
Sua sepultura está localizada no Alter St.-Matthäus-Kirchhof Berlin, no endereço Feld H, H-S-012/013, G2.



Técnica de Rokitansky
Carl Rokitansky (1804-1878) estabeleceu as bases estruturais das doenças e a técnica de necropsia com o estudo sistemático de cada órgão. Em 1866, já tinhafeito mais de 30 mil necropsias. Na sua técnica, os órgãos são examinados “in situ”ou seja, dentro do cadáver, um a um. Desta forma, nesta técnica são realizados vários cortes em todos os órgãos internos, para depois eles serem retirados, um por um. Observe que esta técnica possui uma grande semelhança com técnica de Virchow, com a diferença de que na de Virchow os órgãos são retirados um a um para depois serem examinados, enquanto na de Rokitansky os órgãos são examinados ainda dentro do cadáver, para depois serem retirados , também um por um.
Historico:Carl von Rokitansky nasceu em Hradec Králové , Bohemia . He studied at the Charles University in Prague (1821-1824) and attained a doctorate in medicine on 6 March 1828 at the University of Vienna . Ele estudou na Universidade Charles de Praga (1821-1824) e alcançou um doutorado em medicina em 6 de marco de 1828 na Universidade de Viena . Como um jovem professor, ele reconheceu que o ainda pouco notado disciplina de anatomia patológica pode ser de grande valia para o trabalho clínico no hospital , porque ele poderia oferecer novos diagnósticos terapêuticos e possibilidades para o lado médico. Com isso, depois de Gerard van Swieten , que foi o fundador da primeira Escola de Viena , Rokitansky lançou uma verdadeira "revolução científica". Com a criação da segunda escola de Viena, uma mudança de paradigma entrou em vigor, liderada por Rokitansky, Josef Skoda e Ferdinand von Hebra , a partir da noção de medicina como um tema filosófico-natureza, a mais moderna medicina cientificamente orientada. Desta forma, associada à especialização da medicina e com o desenvolvimento de novas disciplinas, a Escola de Viena alcançado renome mundial.
Ele também desenvolveu um método de autópsia , a técnica de Rokitansky de mesmo nome, ou o "in-situ" método que não está mais em uso é today.Rokitansky disse "ter supervisionado 70 mil autópsias, realizadas pessoalmente e mais de 30.000, média de dois por dia, sete dias por semana, durante 45 anos


Técnica de M. Letulle
Historico:Maurice Letulle praticado duas profissões: ele era um médico especialista da patologia e um professor. Não surpreendentemente, ele considerou seriamente a escolha do material que ele poderia usar para apoiar suas palestras e com o qual ele forma um "Bibliothèque de patologias [biblioteca" de patologias] para si e para seus colegas.
Embora tivesse inicialmente formado uma coleção de inclusões (peças cirúrgicas conservadas em solução de formaldeído), era pesado e pesado. Cerca de 1911, quando os irmãos Lumière foram popularizar a técnica Autochrome, Letulle usaram para tirar fotos de macro e microscópicas patologias. O Autochrome oferecidas duas vantagens: eles forneceram uma amostra real de a doença em questão e, além disso, eram de fácil transporte e exibição. Corantes, que agia como uma sonda de exploração de tecidos, foram essenciais do século 19 e 20 imagens médicas de patologia. This was especially the case when the application of a colourant to a tissue engendered a visible chromatic reaction. Este foi especialmente o caso quando da aplicação de um corante de um tecido provocou uma reação visível cromática. Maurice Letulle preparados os cortes histológicos que ele fotografou a si mesmo através de um microscópio. Para estas fotografias da anatomia patológica microscópica, acrescentou imagens macroscópicas de órgãos saudáveis e retratos dos pacientes. Sua coleção inclui também fotografias da praga na Manchúria e demonstrações de exame médico, como uma auscultação e um exame metódico de um coração. Eugène Normand, bem como o técnico Mrs. Clark Blondeau-lo ajudado neste trabalho, mas Maurice Letulle se decidiu a Autocromos 'classificações por órgão e lesão. Esta classificação original foi mantido junto com as lendas que ele inscrito em cada uma das placas de vidro.
Na técnica de M.Letulle, é feita a evisceração (retirada das vísceras do cadáver) através de um único bloco.

Técnica de Ghon.
Historico: Anton Ghon (01 de janeiro de 1866 - 23 de abril de 1936) foi um austríaco patologista , que era um nativo de Villach . Em 1890 ele ganhou seu grau médico em Graz , e depois passou vários anos no instituto patológico em Viena , onde trabalhou com Anton Weichselbaum (1845-1920). Em 1910 ele se tornou um professor de patológico anatomia na Universidade Alemã de Praga .
Ghon era um especialista no campo da bacteriologia , e é lembrado por seu trabalho com meningite e tuberculose . Seu nome emprestado a sua Ghon foco , que é um primário de infecção associada com a tuberculose, bem como do complexo Ghon , quando a infecção acima envolve em torno dos gânglios linfáticos . Sua obra mais conhecida escrita é um tratado de 1912 de tuberculose na infância chamado Der Primare Lungenherd bei der Tuberkulose der Kinder.
• Publications Anton Ghon: Publicações sobre Anton Ghon:
• Ghon, mas não esquecido, (Anton Ghon e seu complexo); WB Ober (1983).
Na técnica de Ghon, a evisceração se dá através de monoblocos de órgãos anatomicamente e/ou funcionalmente relacionados.

11 comentários:

  1. Nossa, estou querendo muito trabalhar na aréa de necropsia, queria saber se pra trabalhar nessa area precisa ser formado em Medicina?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. voce pode começar com o curso técnico em necropsia. para prestar concurso só é necessário o ensino médio

      Excluir
  2. Não nescessariamente May,MAS, uma formação técnica na area, grau auxiliar ou técnica.blz.

    ResponderExcluir
  3. Gostei mesmo, vou fazer medicina pela Unesp, e sempre gostei da profissão "legista" é isso que vou fazer, obrigada por esclarecer tanta coisa pra mim. abraços.

    ResponderExcluir
  4. Depois de fazer o tecnico em auxiliar de necropsia ,requesitos como idade e sexo interferem na contratação?
    Qual o local mais recomendado para o curso?
    Obrigada

    ResponderExcluir
  5. Eu Me Chamo Edson Fiz o Curso Técnico Em Qualificação Em Necropsia Na Instituição LS De Taguatinga Sul DF.
    E digo mais para quem "Gosta Da Areá Que Não Desista De Seu Sonho"...

    ResponderExcluir
  6. Estou terminando um curso de auxiliar de necrópsia,é muito difícil encontrar trabalho na área?

    ResponderExcluir
  7. onde fazer o curso de auxiliar de necropsia em Curitiba?

    ResponderExcluir
  8. onde consigo fazer o curso de auxiliar em necropsia em mg?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. vc vai achar em uberlandia!! de onde vc é??

      Excluir

Escolhe um trabalho de que gostes, e não terás que trabalhar nem um dia na tua vida.
-Confúcio